Outro importante recurso dentro do trabalho de fisioterapia pélvica é a utilização do biofeedback, aparelho que informa ao profissional e ao paciente de maneira simples, indolor e lúdica como as contrações dos músculos do assoalho pélvico estão sendo executada, qual a frequência e com que intensidade, dessa forma podemos “calcular” a força de contração dos músculos da região genital criando um parâmetro de comparação para as próximas sessões. No meu consultório trabalho com 2 aparelhos de biofeedback.

Biofeedback manométrico: É um dos dispositivos de biofeedback que faz a captação da pressão em milímetros de mercúrio (mmHg) através de uma sonda vaginal ou anal que é inflada com ar.

Biofeedback por EMG (Eletromiografia): É um equipamento que faz a captação da atividade elétrica do músculo em microvolts através de um sensor de eletromiografia acoplado a eletrodos de superfície ou intramusculares (sondas intracavitárias).
A utilização do Biofeedback Eletromiográfico no treinamento do assoalho pélvico tem como vantagens capacitar o paciente a identificar os músculos a serem trabalhados, aumentar a percepção sensorial, reestabelecer a coordenação e o controle motor voluntário, resultando numa melhora funcional e, consequentemente, dos sintomas. Muito utilizado em crianças de forma lúdica (gameterapia).