Após aquisição de ganho de força e resistência muscular do assoalho pélvico inicia-se o trabalho com atividades com sobrecarga do assoalho pélvico (treinamento funcional), ou seja, situações de esforço como tossir, pular, andar, correr, subir escadas, agachar, exercícios abdominais associando-os a contração perineal, etc.

Quanto maior o treinamento, melhor a adaptação da musculatura ao exercício.